Parem o festival de Yulin

A China é, com certeza, palco de inúmeras bizarrices gastronômicas e abusos aos direitos dos animais. Neste artigo, trago um resumo do que é o festival de Yulin, realizado no sul da China desde 1990.
  • Kauan Alexandre
  • 2 de junho de 2021

A China é, com certeza, palco de inúmeras bizarrices gastronômicas e abusos aos direitos dos animais. Neste artigo, trago um resumo do que é o festival de Yulin, realizado no sul da China desde 1990.

O festival de Yulin é um festival que tem duração média de 10 dias e é caracterizado por ser um festival de consumo de carne de cachorro. Estima-se que cerca de 20 mil cachorros sejam consumidos durante o festival.

Diversas organizações internacionais já alertaram sobre a crueldade do festival, uma vez que, antes do festival, eles são criados em ambientes insalubres e pequenos, e parte dos animais são preparados ainda vivos.

Esse festival de crueldade é parte da cultura do povo chinês, que acredita que o consumo de carne de cachorro no festival, criado para comemorar o solstício de verão, abre caminhos de prosperidade e boa saúde.

A festividade é, além de extremamente cruel, uma grande ameaça sanitária, uma vez que uma boa parte dos animais são capturados nas ruas, roubados de residências ou envenenados por cianureto, e não receberam vacinas. Com isso, inúmeros problemas de saúde podem surgir, como, por exemplo, a raiva. Além disso, os animais ficam confinados em gaiolas extremamente pequenas, sem água e comida durante todo o transporte, adoecendo ou morrendo antes mesmo do abate.

No ano passado, por conta da pandemia, os organizadores afirmaram que o número de animais abatidos foi reduzido para cerca de 1.500 cachorros. Ainda assim, diversas organizações internacionais de defesa e proteção animal registraram vendas em abundância e condições de armazenamento extremamente precárias.

Mesmo que a China já tenha retirado os cachorros da lista de animais de consumo, o governo não se posiciona acerca do festival, que considera uma questão cultural. Nas redes sociais, é possível encontrar centenas de abaixo-assinados pela proibição do festival, sendo que, o maior, conta com mais de 15 milhões de assinaturas.

Por conta da pressão, duas cidades da China (Shenzhen e Zhuhai) já proibiram o consumo de carne de cachorros e gatos e estabeleceram medidas legais para tal, mas uma proibição nacional ainda está longe de acontecer.

O festival já poderia ser considerado cruel antes, mas em um momento de incertezas quanto à pandemia e zoonoses, se torna extremamente pior e sua proibição se faz ainda mais necessária, uma vez que a provável origem do coronavírus tenha sido o mercado de animais vivos.

 

Mais Artigos:

Filosofia
Ana Emerick

Em cima do muro: A nova onda do cancelamento

Na atualidade conflituosa em que nos encontramos o mais seguro parece ser o lugar ocupado por “isentões” – aqueles que nunca tomam partido sobre nada, portanto, estão sempre em cima do muro nas mais diversas situações. Mas, será que se manter indiferente é o caminho?

Ler Mais »
Meio Ambiente
Kauan Alexandre

Parem o festival de Yulin

A China é, com certeza, palco de inúmeras bizarrices gastronômicas e abusos aos direitos dos animais. Neste artigo, trago um resumo do que é o festival de Yulin, realizado no sul da China desde 1990.

Ler Mais »
Meio Ambiente
Kauan Alexandre

Como minimizar a exploração ilegal na Amazônia

O debate acerca do desmatamento ilegal na Amazônia é cada vez mais urgente, e está acima de uma questão política de governos. Neste artigo, discorrerei sobre os principais problemas e fraudes no controle e fiscalização e alternativas viáveis para conter o desmatamento.

Ler Mais »
Meio Ambiente
Kauan Alexandre

Meio Ambiente e Liberdade

Em todo ano de campanha eleitoral, o debate acerca do meio ambiente se intensifica – principalmente entre candidatos de esquerda. No entanto, depois da divulgação dos resultados, poucos políticos continuam dando importância para este assunto. Com isso, podemos ter uma certeza: A preocupação dos políticos com o meio ambiente só existe (falsamente) na campanha,  para obter votos, tolher liberdades e relativizar a soberania nacional.

Ler Mais »
História
AveVeritas - Podcast

Saul Alinsky

SALVAR PARA VER DEPOISTradução do artigo de John Perazzo Saul Alinsky nasceu em 30 de janeiro de 1909, Chicago, de pais russos e judeus, mas foi pessoalmente agnóstico em relação à religião. O autor e comentarista político David Horowitz escreveu que Alinsky “atingiu a maioridade na década de 30 como um simpatizante comunista”, como o

Ler Mais »
Política
AveVeritas - Podcast

O SHADOW PARTY

SALVAR PARA VER DEPOISTradução do artigo de David Horowitz Ninguém sabe ao certo quem primeiro usou o termo “Shadow Party.” Em 5 de novembro de 2002, o escritor do Washington Post, Thomas B. Edsall, escreveu sobre “shadow organizations” que estavam surgindo para contornar a proibição de contribuições indiretas de McCain-Feingold (que é discutida detalhadamente abaixo).

Ler Mais »
Política
AveVeritas - Podcast

O PARTIDO COMUNISTA DOS EUA (CPUSA)

SALVAR PARA VER DEPOISTradução do artigo de David Horowitz Após seu início, em 1919, o CPUSA foi inextrincavelmente associado à Internacional Comunista Soviética (Comintern), a qual era controlada pela liderança de Moscou e possuía “incontestável autoridade” sobre todos os partidos internacionais. Quando foi fundado, o Partido tinha aproximadamente 50.000 membros. Na década de 20, os

Ler Mais »